21 de jun de 2010

Pra hora do jogo...

É copa do mundo, meu povo! Que beleza, que maravilha! Todo mundo feliz,  muita vuvuzela retumbanto pelo ar, todo mundo vendo o jogo por aí, na maior empolgação. E eis que de repente e não mais que de repente, aquela pessoa gostosa que trabalha do ladinho da sua casa perguntou se pode assistir o jogo lá.É evidente que você aceita! E então você se depara com a velha e boa falta de grana, aliada a uma geladeira habitada por nada mais que meia panela do arroz de ontem e ovo... Tá fodid@? É nada! Tá salv@!!!
Bolinho de Arroz!!!


O que tem que ter?
2 xícaras de arroz cozido¹
1/2 xícara de água
1 colher de sopa rasa de fermento em pó²
1 xícara de chá de maisena ou farinha de trigo
2 ovos
Sal a gosto
Óleo para fritar
Papel toalha³
Se quiser 1/2 xícara de chá de queijo ralado, um punhadão de cheiro verde picado, pra já dar um gosto.

Já checou, agora vai fazer:
Pega tudo e joga numa vasilhona. Daí você mistura tudo muito bem misturado. Bota o mãozão lá e amassa com vontade! Amassa bem mesmo! Vai ficar um bagulho grudento. Pega um pouco com a mão, amassa e deixa cair; se o bolinho continuar no formato da sua mão, sem desmanchar, é porque tá bom.
Daí, deixa o óleo esquentar bem, depois abaixa o fogo. Pega duas colheres, tira um pouco da massa com uma, ajeita com a outra, pra ficar bonitinho, e joga no óleo quente. Repita a operação até acabar a massa (hehehe!). Quando o bolinho estiver, tipo cor de caramelo (não marrom e nem preto!), você tira do óleo, escorre e coloca no papel toalha pra secar. Já é!!!

Acompanha breja, claro!!!

Essa postagem é um oferecimento especial ao Amaurydo!!!



1. Se o arroz que você tinha é um carreteiro ou um agrega (sem passas) ou um com legumes, também serve e fica mó legal!
2. Você pode usar farinha já fermentada e desencanar do fermento em pó e da maisena. Mas maisena é mais legal, deixa tudo mais sequinho e crocante.

3. Nunca pule a etapa do papel toalha, nem que você seja obrigado a substituí-lo por papel higiênico ou um pano de prato (affff)!

8 de jun de 2010

mandioquinha na boquinha

Mandioquinha? Coisa linda de dellls! Todo mundo pira! Muito perfumada, muito saborosa, tem uma cor linda... Nem tem o que falar. Faz um tempinho que a galera queria uma receitinha e essa, vou falar, é a mais fácil do mundo. Não precisa nem descascar o legume, minha gente... (Rá!). Sério (apesar da piadinha), não precisa descascar nem nada! É só lavar direitinho e mandar ver! Precisa de liquidificador, mas isso é tranquilo, né? Tesão de inverno é

CREME DE MANDIOQUINHA COM PAIO

Então vai lá comprar, vai:

½ kg de mandioquinha¹
1 paio cortado em rodelas (ou calabrtesa defumada)
Sal a gosto
1 colher de azeite

Comprou? Simbora fazer!
Pica as mandioquinhas, joga numa panela e cobre de água. Coloca lá uma colher de sal. Deixa cozinhar: enfia um garfo em uma delas, se entrar e sair facinho é porque tá bom. Pode repetir a operação com outra, em caso de dúvida - isso você não vai esquecer: tá no ponto quando entra-e-sai, entra e sai facinho-facinho. (Ok, outr piada infame, já parei!). Depois, deixa esfriar um pouco e joga no liquidificador com um copo de água. Bate bem, até virar um creme. Deixa lá.
Numa outra panela, você coloca os paios com o azeite e deixa fritar. Acho bobagem colocar qualquer tempero, porque paio já é bem saboroso e mandioquinha então, nem se fale. (A gente tem que aprender a aproveitar o gosto que as coisas têm naturalmente). Estando fritinho, joga o creme de mandioquinha, sal, azeite e vai mexendo. Deixa ferver. Já é!!!
Se quiser, coloca na mesa, na hora de servir, uma porçãozinha de salsinha picada, que vai bem com o creme – salsinha não é erva que resiste ao cozimento, então, quando usar, não pode mais cozinhar.
O vinho é tinto, claro!


1. Pra escolher: pequenas e com a casca bem lisinha, quase sem furinho nenhum.